« Página inicial | Ai, Timor Lorosa´e! » | A responsabilidade de Portugal » | Mistura explosiva » | Dormir? Não, obrigado! » | Arco-íris e sombras em Timor-Leste » | Mundial » | Pontiana, ou a mulher-pássaro » | Os novos dias de Díli » | A rua como sala de visitas » | Amor em tempo de cólera » 

quinta-feira, junho 22, 2006 

O Presidente falou!

Nem este cão de ar desconfiado se deve sentir tão acossado na montanha inóspita que se lhe afigura adversa como os timorenses se sentiram hoje quando Kay Rala Xanana Gusmão, o seu Presidente, lhes falou.
Tocou-lhes fundo a mensagem. Finalmente, falou-se abertamente. Sem meias palavras. Duro, directo, implacável.
E, estupefacto, decepcionado, o povo reage. Com dor e raiva. Porque não devia haver espaço para o medo e a insegurança. Porque não é fácil aceitar que o perigo existe e não faz parte apenas de fértil imaginação popular.
Desta vez, Timor não rimou com rumor!
O Presidente falou.
Depois de tanto sofrimento, da independência tão esforçadamente conseguida e sustentada em fundamental unidade nacional, não devia ser verdade que, no país das nossas esperanças, do nosso futuro, houvesse espaço para o ruir do sonho que animou o nascimento da Nação Timor.
Aqui, não deveríamos sentir-nos acossados por outros tantos de nós. Porque todos nós somos Povo; só que é povo contra povo! Ou quem erradamente manda em nome do povo! Em nome de coisa nenhuma, porque a ambição do poder e de dinheiro de tão vulgar e mesquinha vale zero na tabela da dignidade da alma de Timor-Leste.
Por isso, não deveria ser verdade.
Mas o Presidente falou…

ola são19.52 horas da tarde com muito sol.vi no telejornal da 1 hora da tarde o presidente desse lado do mundo falou em tetun aqui em casa só que percebi porque até tinha legendas em portugues fiquei preocupado se ele que falou para todos ouvirem se o fizer o que o presidente falou fico preocupado.o lavar de roupa de tanto torcer parece que se esta a rasgar a roupa para o lado do presidente. cumprimentos do manu fuik da costa de caparica

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

Sim o Presidente falou e parece que falou para se entender o que de facto pensa. Resta saber o que pensa o povo. Não sei que roupa se rasgou ou se foi rasgada por terceiros. Houve gente sim morta, houve queimadas, destruição e histórias mal contadas. Agora a mensagem é ainda mais clara. Fartou-se, ao que parece, de suportar aqueles que afinal não souberam levar a bom-porto a crise anunciada.

Esperemos que além de ter falado, nos surpreenda ainda durante o dia de hoje. Não vislumbro sinceramente mais ninguém que tenha a possibilidade de resolver o imbróglio em que os políticos se meteram... Xanana é um mito, uns dizem que já não é mas só espero que não o tornem um mártir pois não se vê mais ninguém para resolver a situação...

Sinto-me tristíssimo com o que se passa em Timor.

Depois de tanto sofrimento, volta mais sofrimento para esse povo mártir.

Estranho é,de facto,esse país.
Até alguns heróis antigos parece agora vacilarem.

Que se lixe o Povo e as suas lutas antigas na esperança de ganharem um país a sério.

Já agora, para terminar, gostaria de perguntar ao Primeiro Ministro de Timor Leste, eleito democráticamente pelo seu Povo - Mari Alkatiri - o seguinte:

-Com quem tem andado, últimamente, a igreja católica do seu país?
-Com quem tem dormido últimamente, Xanana Gusmão?
-E Ramos Horta, corre, últimamente, por quê?

Em Tempo: -É credível que quem detém o poder -e o voltaria seguramente a ganhar se não fossem as manobras de bastidores em curso -quizesse implantar uma ditadura stalinista, neste momento, em qualquer parte do mundo?
2:58 AM

AEF said...
Mari sai, Ramos Horta assume, Xanana fica como o herói do povo, mas é coisa de pouca dura, porque no fundo todos sairam a perder desta crise, todos. Timor é quem perde mais, e Xanana ajudou, por mais que me custe dizer isto!
Se havia suspeitas de que Alkatiri estava envolvido, e elas eram sérias para Xanana, ele devia pugnar por fazer cumprir a lei. E a lei maior: a Constituição.
Cair um primeiro-ministro desta forma, seja ele qual for, não me parece correcto. Xanana acabou por usar um poder que me parece ter, o da persuasão política, mas fê-lo da pior forma: na rua! e megafone em punho, exigiu a queda do PM, ou ele ou o PM, ou ele ou a Fretilin! E Timor ficou à beira de uma guerra civil!
Quis ter o poder que não lhe deram pela Constituição? Não sei. Algo está errado nesta história toda, e talvez nunca se venha a saber, pois a história é sempre a dos vencedores!
Porque não aconselhou todos a esperar pelas eleições? Só um motivo muito grave o levaria a querer partir a corda tão rapidamente, dando ideia de que estava a ceder a todas e mais algumas pressões... Se não estava, o que aconteceu que justificasse esta actuação?
Pelo menos para fora, o que passou foi uma imagem feia. Não vimos o PR que nos habituámos a ver...
O que fez de tão mau Mari para merecer ser o bode expiatório de tudo isto? Porquê tanta urgência em deitá-lo ao chão?
Em termos de governação, das coisas objectivas dos ministérios, ele tem feito um trabalho notável que todos lhe têm reconhecido, inclusive Xanana, banco mundial, outros países, Comissão Europeia... Então, porquê esta violência contra ele? Não estou a defendê-lo, estou apenas a perguntar!
E aberto o precedente...

AEF said...
Mari sai, Ramos Horta assume, Xanana fica como o herói do povo, mas é coisa de pouca dura, porque no fundo todos sairam a perder desta crise, todos. Timor é quem perde mais, e Xanana ajudou, por mais que me custe dizer isto!
Se havia suspeitas de que Alkatiri estava envolvido, e elas eram sérias para Xanana, ele devia pugnar por fazer cumprir a lei. E a lei maior: a Constituição.
Cair um primeiro-ministro desta forma, seja ele qual for, não me parece correcto. Xanana acabou por usar um poder que me parece ter, o da persuasão política, mas fê-lo da pior forma: na rua! e megafone em punho, exigiu a queda do PM, ou ele ou o PM, ou ele ou a Fretilin! E Timor ficou à beira de uma guerra civil!
Quis ter o poder que não lhe deram pela Constituição? Não sei. Algo está errado nesta história toda, e talvez nunca se venha a saber, pois a história é sempre a dos vencedores!
Porque não aconselhou todos a esperar pelas eleições? Só um motivo muito grave o levaria a querer partir a corda tão rapidamente, dando ideia de que estava a ceder a todas e mais algumas pressões... Se não estava, o que aconteceu que justificasse esta actuação?
Pelo menos para fora, o que passou foi uma imagem feia. Não vimos o PR que nos habituámos a ver...
O que fez de tão mau Mari para merecer ser o bode expiatório de tudo isto? Porquê tanta urgência em deitá-lo ao chão?
Em termos de governação, das coisas objectivas dos ministérios, ele tem feito um trabalho notável que todos lhe têm reconhecido, inclusive Xanana, banco mundial, outros países, Comissão Europeia... Então, porquê esta violência contra ele? Não estou a defendê-lo, estou apenas a perguntar!
E aberto o precedente...

Mas porque é que não se fala claro quando tudo é claro?

O Presidente decide impor a demissão do Primeiro-Ministro porque viu um programa de televisão estrangeiro (australiano, sim australiano. Timor ainda não é uma colónia australiana e portanto a Austrália ainda é um pais estrangeiro).

Esse Programa acusa o Primeiro Ministro de algumas irregularidades no recente conflito verificado, e é promovido por uma cadeia de televisão da Austrália, país que viu recentemente algumas dificuldades impostas pelo mesmo Primeiro Ministro de Timor-leste, nas licenças de exploração de petróleo no mar de Timor.

Como é que um Primeiro-Ministro de um país tão pequenino, apesar de ter sido democraticamente eleito por larga maioria, se atreve a fazer frente à maior potencia económica da região que está ali mesmo ao lado???

O petróleo hoje em dia domina as questões geo-estratégicas a nível mundial.

Perante os milhares de soldados australianos que estão no território e que defendem e protegem com as suas armas os opositores do Governo, e que estão também eles defendidos com as posições do Presidente Xanana (Homem educado e muito bem tratado pela Austrália)o que é que a GNR Portuguesa ainda está a fazer no território ??

Quando os soldados australianos ajudam os manifestantes anti Governo a escrever, em inglês, nos pequenos cartazes que ostentam, frases a pedir a demissão do Primeiro Ministro, que é que a GNR Portuguesa ainda está a fazer no território ?? Já lá não deviam estar.

Teve agora início a 3ª fase da história das ocupações em Timor, a da ocupação Australiana. Uma ocupação lícita porque tem o aval do Presidente da República, o homem que todos respeitam.

Ricardo.

Grande confusão e enorme tristeza para todos nós, portugueses e não só que estiveram empenhados na defesa intrasigente dos direitos do povo maubere.

Com o grito de "Independência ou Morte" se contruiu essa Pátria e se moveram vontades e energias em todo o Mundo civilizado para se fazer nascer o Estado de Timor. E para quê? Essa é a questão em aberto.

A verdade é que são os líderes desse País que estão a dar um mau exemplo de falta de discernimento politico e democrático. Não é apenas oportunismo e sim falta de clarividência. Não se deve imputar mais culpas ao Primeiro Ministro do que ao Presidente. Todos eles são culpados.

Quanto à "influência" australiana, temos de ser realistas e entender que se trata de uma potência regional com real interesse na matéria e neste pequeno País. Aliás esse interesse foi demonstrado por mais de uma vez e para isso basta recordar-nos da Segunda Grande Guerra onde forças especiais australianas estavam a combater no território de Timor.

A resposta agora dada, tal como em 1999, demonstra o interesse da Austrália em ter este País estabilizado e seguro. A nossa presença é meramente simbólica, tal como foi desde sempre...120 GNR no meio de 2 600 homens comadados pela Austrália é irrisório e nem se dá por nada.

Portugal tem de compreender que o que pensa e o que diz sobre Timor não interessa para nada no contexto internacional e muito menos junto das Nações Unidas e da Austrália.

Na comunicação social australiana que é lida e vista em toda aquela região, nem uma única palavra acerca daquilo que pensa o Governo Português...A verdade de Portugal é só e unicamente para consumo interno e na prática não interessa a ninguém...

Eu vivi na Autrália e sei que os aussies são bem persuasivos quando querem e teimosos até mais não...a única maneira de nós sermos mais ouvidos e respeitados na região seria em vex dos 120 GNR's, enviar uma presença militar significativa e que pudesse substituir os australianos.

As minha perspectiva não é muito optimista e julgo que os problemas só começaram agora, pois as divisões vão continuar a grassar e nem precisam de ser alimentadas por ninguém..sempre existiram...UDT vs. Fretilin, Milicias vs. Independistas, Xanana vs. Fretilin, Lorosae vs. Loromuno, liurais vs. liurais...

Finalmente para Portugal, "cresçam e apareçam" ou então não se envolvam pois "sto é areia demais para a nossa camioneta".

Henrique Oliveira

O Presidente falou, mas eu por mim duvido da legitimidade dele para falar:

Quem o investiu através de eleições tem mais legitimidade que quem votou na FRETILIN e em Alkatiri para Primeiro Ministro?

Umas porguntas:

Xanana tem maior legitimidade para falar ao povo de Timor que Alkatiri?

Xanana toma as suas decisões politicas com base em reportagens da TV australiana?

Os revoltosos Salsinha e Reinado após amotinarem-se em armas e aterrorizarem o país têm agora legitimidade para serem tratados pelos autralianos e por Xanana como representates de alguma coisa de legítimo?

Quem são os golpistas?

Alkatiri e a FRETILIN, ou os revoltosos que pegaram em armas?

O poder em Dili caiu à rua?

Um Conselho de Ministros que não funciona, porque o palácio está cercado com a benção do Bispo, com o beneplácito de Xanana e com a snata protecção das forças armadas australianas?

Que santíssima trindade que se instalou em Dili...

E que futuro para um país que lida com as crises assim?

E qual o papel que Xanana reserva à Austrália como conecassão por tão grande apoio politico?

As eleições serão efectuadas daqui a uns meses.

Se a FRETILIN ganhar essas eleições e eventualmente Alkatiri for noemado pelo partido para concorrer ao cargo de Primeiro Mnistro, como ficará a posição política dos populistas e demagogos que à sombra ed Xanana e da sua mulher-conselheira australiana andam virar Timor do avesso?

Gostaria que alguem me explicasse.

Obrigado.

O Presidente falou, mas eu por mim duvido da legitimidade dele para falar:

Quem o investiu através de eleições tem mais legitimidade que quem votou na FRETILIN e em Alkatiri para Primeiro Ministro?

Umas porguntas:

Xanana tem maior legitimidade para falar ao povo de Timor que Alkatiri?

Xanana toma as suas decisões politicas com base em reportagens da TV australiana?

Os revoltosos Salsinha e Reinado após amotinarem-se em armas e aterrorizarem o país têm agora legitimidade para serem tratados pelos autralianos e por Xanana como representates de alguma coisa de legítimo?

Quem são os golpistas?

Alkatiri e a FRETILIN, ou os revoltosos que pegaram em armas?

O poder em Dili caiu à rua?

Um Conselho de Ministros que não funciona, porque o palácio está cercado com a benção do Bispo, com o beneplácito de Xanana e com a snata protecção das forças armadas australianas?

Que santíssima trindade que se instalou em Dili...

E que futuro para um país que lida com as crises assim?

E qual o papel que Xanana reserva à Austrália como conecassão por tão grande apoio politico?

As eleições serão efectuadas daqui a uns meses.

Se a FRETILIN ganhar essas eleições e eventualmente Alkatiri for noemado pelo partido para concorrer ao cargo de Primeiro Mnistro, como ficará a posição política dos populistas e demagogos que à sombra ed Xanana e da sua mulher-conselheira australiana andam virar Timor do avesso?

Gostaria que alguem me explicasse.

Obrigado.

É preciso cair na realidade a Austrália já não vai sair de Timor.
Fala-se da instalação de uma base militar permanente para cerca de 3 000 australianos. Esta é a realidade, pura e dura...

Xanana, Alkatiri, Guterres, Horta e outros mais não vão poder fazer do que aceitar esta situação...

E Portugal? Não faz comentários porque isso é ingerência nos assuntos internos(????). Tenham juizo pois quanto aos australianos todos comentam, quer sejam do governo ou não e vão "ingerir-se" sempre e todas as vezes que quiserem (estão ali ao lado e são a potência regional da Oceânia...).

O corolário desta situação irá ser quando as Nações Unidas entregarem o comando das forças da ONU à Austrália e podem estar certos de que alguns países europeus com assento no Conselho de Segurança irão mais depressa, alinhar com os aussies do que com Portugal, relações comerciais e politicas oblige.

A questão de quem é o maior culpado desta situação é absolutamente secundária, pois o Xanana (goste-se, ou não) tem as forças armadas na mão, os australianos com ele e isto basta.

Meus senhores isto é que é a real politik, o resto é conversa e mais conversa.

Henrique Oliveira

O presidente falou.. e falou bem !

O Presidente falou a Angela Carrascalão gostou!

Gostou ela, gostaram os Australianos e gostaram também os “rapazes manifestantes”. Gostaram tanto que foram fechar o Parlamento Nacional, com o argumento de que "se o Parlamento representa o povo, então o povo decide fechá-lo". Só fechar? Já agora tinham incendiado e saqueado, como têm andado a fazer em Dili, com o beneplácito dos Australianos.
Por acaso o povo Timorense passou procuração aos cerca de 4000 manifestantes para falarem em seu nome? Quem ganhou as eleições foi a FRETILIN.
A cada dia que passa Timor vai deixar de ser um estado de direito para passar a “Republica das Bananas” administrada pela Austrália.

Aiii Timor

Enviar um comentário