« Página inicial | Sofia, uma Senhora muito Ferik » | Ainda a tempo... » | Em 2009, Recomeça... » | Feliz Natal! » | Crianças » | Tempo de Natal » | O edifício da antiga Intendência Militar dos tem... » | A vida às escâncaras de quem passa... » | Fui a Lisboa e regressei cheia de vontade de volt... » | Doentes e doentes.... » 

terça-feira, janeiro 27, 2009 

A banalização do desrespeito e do desprezo




O culto dos mortos é, em Timor-Leste, um caso sério. E quase me atrevo a dizer que se respeita mais a memória de um morto do que se respeita um ser humano vivo. Por outro lado, se há sítio onde todos, depois de morrerem, passam a ser bons, é aqui em Timor-Leste. Culto, cerimoniais da morte, choros de transido sofrimento...
Tudo parecia ser assim tão linear, tão certo, tão sentimento...
Pena é que o sofrimento, a dor, o respeito e a educação sejam permeáveis a algumas modas. Que o culto se consuma perante a cobiça de alguns vivos que não olham a meios para alcançar os seus fins. Se não há espaço para sepultamento de novo inquilino do cemitério de Santa Cruz há que o arranjar. O que se faz com a profanação descarada de campas para reutilização.
Há desrespeito, desprezo pelos restos mortais daqueles que, tendo partido há muito tempo, não têm familiares que defendam o direito dos mortos ao descanso em paz.
O Cemitério de Santa Cruz está cheio como um ovo e, nem mesmo existindo mais cemitérios / com excepção do cemitério de Santana - , as pessoas desistem de ali enterrar os seus entes queridos. É verdade que em Santa Cruz se descansa, só que não eternamente...
Quando morre alguém, é uma dor de cabeça para os que transportam o caixão e para os acompanhantes. Acompanhar o morto à sua “última” morada, significa, sem pudor, pisar, saltar por cima das sepulturas existentes. Como já não há espaços vazios, enterra-se o morto na campa de um familiar. E quando não as há de familiares, então vá de profanar os restos mortais de outrem. Os mortos não falam e não podem resistir aos negociantes da morte...
Um dia destes, entrei no cemitério e, num gesto habitual, olhei para o lado esquerdo de quem entra pela porta principal, de frente para a capela, onde havia a sepultura de um velho e solitário senhor a quem valeu na hora da morte – há umas dezenas de anos - um grupo de amigos a prestar-lhe devida homenagem enterrando-o em campa rasa evitando assim que o colocassem numa vala comum. Em lugar da campa rasa em cimento, cor de cinza, há, agora, uma nova, alta, colorida, como aliás é hábito aqui no país. Estranhei. Recordei as palavras de alguém que me afiançara que havia quem fizesse negócio com as campas.
Lembro-me que noutros tempos havia um coveiro que tratava cuidadosamente do cemitério, recordo que havia um ossário. Não sei se continua a existir um lugar onde sejam condignamente colocados os restos dos que perdem o lugar. Ignoro mesmo se haverá hoje alguém a quem nos possamos dirigir para dizer de nossa justiça.
Parece-me urgente que corajosamente se tomem medidas e se encerre o cemitério de Santa Cruz proibindo novos enterros. Se, mesmo por omissão, aceitamos e assistimos impávidos ao acto ultrajante da profanação do cadáver de outro ser humano, estamos também a aceitar que as lágrimas que deitamos pelos que partem não são mais que lágrimas de crocodilo. Pior, aceitamos bem que, um dia mais tarde, e na cíclica renovação de desrespeito, haverá quem faça o mesmo aos nossos mortos, a nós próprios...
E porque já não se sabe onde começa e termina o respeito seja pelo próximo vivo seja pelo morto e a tradição já não é o que era dantes, não haverá flor colocada na “Cruz Bo´ot” que chegue para ajudar no perdão dos nossos pecados...

O caso do cemiterio de Santa Cruz e uma das questoes que ja deveria ter sido atendido no tempo do Governo do Dr.Mari ALkatiri e tem continuado a ser esquecido por este Governo actual. Nos tempos em que Timor era uma colonia o cemiterio estava sob a alcada da Camara Municipal de Dili. Agora temos la Um Bupati mas nao sei se esta na alcada dele ou do Governo. Sei tambem que temos especialistas de cemiterios em Dili com muitos anos de esperiencia adquiridos a gerir cemiterioas aqui na Australia que poderiam dar conta do recado caso o Governo decida de uma vez por todas que e importante cuidar dos mortos e o convide a dar uma arrumadela aoCemiterio de Santa Cruz.

http://bonecasdeatauro.blogspot.com/

Não tem a ver com o post mas parece-me ser importante. Obrigado

Estive por aqui em visita ao seu blog! Abraços Ademar!!

Estive por aqui em visita ao seu blog!! Abraços Ademar!!

EU ESTAVA VENDO OS SEUS ESCRITOS, EU GOSTEI. MAS EU NÃO GOSTEI DE ALGUMAS FRASES QUE VOCÊ USOU. CRUZ BOOT NÃO PERDOA PECADO NENHUM, QUEM PERDOA PECADO É DEUS POR MEIO DE JESUS CRISTO SEU FILHO AMADO QUE MORREU NA CRUZ DE CALVÁRIO.

Enviar um comentário