« Página inicial | Sol de pouca dura! » | Os senhores deputados não têm vergonha? » | Generosidade, a quanto obrigas... » | E se a moda pega? » | Ataúro » | Verde, esperança... » | Braço de Ferro? » | A crise tem destas coisas! » | Tranquilidade » | Timor, 2006 » 

quinta-feira, janeiro 18, 2007 

Timor,temor, terror, rumor...

Em 1999, quando a questão de Timor chegou ao rubro e o então território ocupado se encheu de jornalistas, o rumor era um dos problemas com que os profissionais da comunição social se deparavam. Rumor rimando, dia e noite, com Timor, Temor substituindo o Timor-Amor, usado durante os anteriores dolorosos anos da ocupação indonésia.
Era preciso separar o trigo do joio, testar esmiuçadamente
cada informação, procurar a verdade era como querer encontrar agulha em palheiro, o que tornava ainda muito mais difícil noticiar os acontecimentos...
Estamos no 5º ano da nossa independência. Os tempos são, deveriam ser outros. Mas, nem tudo mudou, infelizmente.
Timor-Amor nunca mais voltou; mantém-se o apertado amplexo entre Timor-Temor, Timor-Rumor...
Quer dizer, quando é preciso criar um facto, inventando-o, de preferência para se denegrir ou destruir alguém, põe-se a circular um boato. O rumor extravasa das paredes de uma casa, atravessa quintais mais veloz que o vento e, daí a pouco, todo o Timor é conhecedor do novo facto inventado que, de tão repetido, passa muitas vezes a verdade.
Com a proliferação dos telemóveis no país, vulgarizaram-se as SMS transmitindo célere e sempre de forma anónima a mentira conveniente, oportuna, urgente e sempre terrorista...
Um dos jornais diários de hoje noticia justamente um caso destes.
Inventa-se o assassínio de alguém, constrói-se uma pequena história que se atribui a um grupo de pessoas sobre as quais se criam instantaneamente laços e interesses comuns e toca a difundir a atoarda!
Desta vez, porém, o autor da brincadeira teve menos sorte porque um dos visados, político, dirigente de um partido, decidiu apresentar queixa à polícia a quem solicitou
uma investigação séria ao caso.
Espero que seja rapidamente encontrado o terrorista e que, de uma vez por todas, o temor-Timor-rumor desapareça e dê lugar a Timor-Amor dos tempos de paz, de respeito e de tolerância pelo próximo...

ola angela.As
pessoas se assustam com os boatos que por aí devem de ser muitos suponho eu . Ontem já depois de ler seu post.Falando na nete com uma jovem que se encontra em dili funcionaria de uma ONG me dizia ela que em tasi tolu a agua está aparecer muito encarnada e dizem que é sangue, fiz ver que era um boato(pensando no seu post)ela me afirmava que TV de timor tinha mostrado.Ela me dizia que aquela situção da agua ser vermelha, que o povo diz ser prenuncio para uma tragedia.Fiz ver a ela que era boato que isso não trazia tragedia,e que não acreditasse em bruxos e bruxas hahahahah. o luis na costa da caparica

Enviar um comentário