« Página inicial | Treze anos de independência de Timor-Leste, a noss... » | A cidade de Díli e a reunião-cimeira da CPLP » | Jovens universitários, duas histórias exemplares » | Mulher crocodilo » | O Massacre de 17 de Abril de 1999 » | O Hospital Nacional Guido Valadares » | Feliz Natal! » | Trabalhei dois anos neste livro que amanhã vai ser... » | Viva Timor-Leste! » | Desabafo timorense » 

sábado, novembro 28, 2015 

A identidade nacional de Timor-Leste





A identidade nacional da República Democrática de Timor-Leste teve como vetor o regime colonial português que durou quase meio milénio pelo que é natural que desse convívio secular, a par de muitas e conhecidas dissensões, se tenham firmado afetos em consequência da história, da religião e da língua comuns. Por outro lado, como resultado da miscigenação e dessa convivência secular surgiu uma realidade cultural própria que inclui aspetos comuns às culturas em longa interação.
Acrescente-se que a relação entre os timorenses e portugueses se revela muito peculiar; como afirma Miguel Galvão Teles "A situação de Timor-Leste exprimiu ainda o paradoxo ou a ironia do empenho na defesa da autodeterminação e dos direitos do povo colonizado pela antiga potência colonial”.
O que dizemos constitui certamente uma das exceções nas relações entre Estado colonizador e território colonizado e é impossível não realçar o que consiste numa particularidade na história dos povos.
Os primeiros portugueses, missionários, que aportaram a Lifau, em Oecussi, em 1515, trouxeram para Timor não só a religião e a língua como também a escrita e deixaram para a História o marco da convivência entre duas civilizações distintas e o início de uma nova era timorense. É precisamente devido a esse evento que a celebração dos 500 anos de história comum entre timorenses e portugueses se reveste de especial importância. Em Lifau, o berço da nossa nacionalidade e da interiorização da consciência identitária timorense, em dia igualmente relevante para a História recente de Timor-Leste, do 40º aniversário da proclamação da independência em 28 de Novembro de 1975, comemorou-se hoje essa data com a dignidade que a circunstância exige.
É evidente, todos o sabemos,  que os primeiros portugueses vieram para comerciar e não para criar uma Nação, mas é uma realidade incontornável que a presença secular portuguesa em terras do sândalo ajudou à criação da identidade nacional, cultural e social timorense. A génese do Estado de Timor-Leste reside na existência de características que o distinguem dos povos das ilhas vizinhas e emergem da vivência comum e da interação com um povo oriundo literalmente do outro lado do Mundo que transformaram o território numa comunidade singular nesta região do globo.
Timor-Leste é portador de uma identidade própria que foi cultivando e construindo em simultaneidade com a compreensão da importância da sua diferença: paulatinamente, à cultura ancestral, acrescentou os novos valores trazidos pelos navegadores portugueses e se foram enraizando como traços de uma identidade criadora do nacionalismo timorense, que abriu caminho para a necessária perceção de que os timorenses são um só povo de uma só pátria que comunga o sentimento de pertença a uma nação que o Estado materializa; o timorense apreendeu que “pertencer significa simultaneamente ser incluído numa comunidade e estar separado e diferenciado de  outra”.
Importa sobremaneira sublinhar que, a par do aprofundamento e da consciencialização da sua identidade, se impõe ao novo Estado de Timor-Leste devida atenção aos vários desafios destes novos tempos.
Efetivamente, com  o surgimento de nova ordem mundial, sem identidade própria, um Estado não sobrevive ou sobrevive mal quando se deixa absorver por uma entidade mais forte; é fundamental que os Estados pequenos e frágeis como Timor-Leste concebam formas de sobrevivência e de defesa da sua soberania entendendo e consolidando a identidade nacional, sustentada por uma cultura nacional unificadora.
Apesar de ser um Estado pequeno, novo e frágil, Timor-Leste é  diferente na história, na cultura, na religião e na língua que lhe conferem  identidade própria e é detentor de uma identidade forte, antiga, de cinco séculos, baseada na religião católica e na língua portuguesa, para além de possuir uma língua nacional que igualmente contribui para a consolidação da identidade nacional e une os timorenses que se destacam dos demais porque são  diferentes. Por outro lado, o Estado de Timor-Leste está consciente de que ninguém sobrevive sozinho e está atento à crescente interdependência dos Estados. A língua e um passado histórico comum são a razão da sua integração  na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa quando “a política global está a ser reconfigurada segundo linhas culturais e os povos e os países com culturas análogas se aproximam enquanto os que têm culturas diferentes se afastam.

SAYA ATAS NAMA: BPK SAMSUL 'TKI' DARI SINGAPURA

=====================================
DULUNYA AKU TIDAK PERCAYA SAMA BANTUAN DARI
PERAMAL TOGEL, ATAU PESUNGIHAN UANG GOIB DAN LAIN2 NYA TAPI SEKARANG AKU SUDAH PERCAYA
KARENA SAYA SUDA MEMBUKTIKA SENDIRI.KARNA ANGKA
YANG DIBERIKAN 4D. BENAR2 TEMBUS 100% ALHAMDUHLILLAH
DPT 225'JUTA DAN SAYA SELAKU PEMAIN TOGEL,DAN KEPERCAYAAN
ITU ADALAH SUATU KEMENANGAN DAN SAAT SKRAG SY TEMUKAN
ORANG YANG BISA MENGELUARKAN ANGKA2 GAIB YAITU (MBAH KARYO)
JIKA ANDA YAKIN DAN PERCAYA NAMANYA ANGKA GOIB ANDA BISA
HUBUNGI LANGSUNG (MBAH KARYO) DI NO_0823_0153_6999_ >>>KLIK PESUNGIHAN TANPA TUMBAL NYATA<<< SAYA
SUDAH BUKTIKAN SENDIRI ANGKA GOIBNYA.
INI KISAH NYATA SAYA
=====================================
thanks romnya sobat

Enviar um comentário