quinta-feira, dezembro 31, 2009 

Feliz Ano Novo!

Andei muito tempo arredia da escrita. É verdade! Mas tinha mesmo de ser assim. É que lá diz o ditado noblesse oblige...
E agora que já estou de novo liberta de afazeres que me não deixavam tempo para nada, quero recomeçar de novo. Durante todo o tempo em que andei fora da escrita, não deixei de olhar à minha volta, de observar...
Hoje, marco apenas presença para o voto habitual desta época, desejando a todos um Ano de 2010 pleno de prosperidades, quero partilhar convosco um poema lindíssimo – não sei quem é o autor - que me foi enviado por um velho amigo, o Fernando Baginha, que diz assim:

" DESEJO-TE TEMPO, MUITO TEMPO!
Não te desejo um presente qualquer,
Desejo-te somente aquilo que a maioria não tem.
Desejo-te tempo, para te divertires e para sorrir;
Desejo-te tempo para que os obstáculos sejam sempre superados
E muitos sucessos comemorados.
Desejo-te tempo, para planear e realizar,
Não só para ti, mas também para os outros.
Desejo-te tempo, não para ter pressa e correr,
Desejo-te tempo para te encontrares,
Desejo-te tempo, não só para passar ou vê-lo no relógio,
Desejo-te tempo, para que fiques;
Tempo para te encantares e tempo para confiares em alguém.
Desejo-te tempo para tocares as estrelas,
E tempo para crescer e amadurecer.
Desejo-te tempo para aprender e acertar,
Tempo para recomeçar, se fracassares...
Desejo-te tempo também para poder voltar atrás e perdoar.
Desejo-te tempo, para ter novas esperanças e para amar.
Não faz mais sentido protelar.
Desejo-te tempo para ser feliz.
Para viver cada dia, cada hora como um presente.
Desejo-te tempo, tempo para a vida.
Desejo-te tempo, muito TEMPO!"


Até já e Feliz Ano Novo!